Hipoderme / Tela Subcutânea


Estamos entrando agora no período de maior procura por tratamentos estéticos corporais. Aproveitando esse período, vou trazer posts falando sobre celulite, gordura localizada e seus tratamentos. Mas, para isso, devemos primeiro estudar um pouco sobre uma parte do nosso corpo que será essencial para esses tratamentos: a hipoderme! 

Aqui no blog eu já falei sobre o Sistema Tegumentar (pele) e seus anexos, e que muitos autores não consideram a hipoderme como uma terceira camada da pele, mas sim, como o próprio nome diz, uma Tela Subcutânea. Recomendo a leitura desse post citado para um melhor entendimento desse, você confere clicando aqui!  




Diferente da Derme e da Epiderme, a Hipoderme é constituída por dois principais tipos de células, os fibroblastos e os adipócitos, que estruturam quatro subunidades: a matriz intersticial, a rede microcirculatória, as unidades neurovegetativas e as unidades energético-gordurosas. 

À esquerda os fibroblastos e à direita os adipócitos.
 Os fibroblastos da hipoderme produzem o colágeno, a elastina e os principais componentes da matriz extracelular, que são: ácido hialurônico, glicoproteínas e proteoglicanas. 

As unidades energético-gordurosas são os adipócitos, que contém um núcleo achatado excêntrico, ou seja, seu núcleo fica na periferia da célula, e um grande depósito de lipídios, envolto por uma fina camada de citoplasma, o que faz com que as outras organelas se encontrem próximas ao núcleo, como demonstrado na imagem abaixo:

Imagem: Adipócito.

 Quando há a necessidade de energia, os lipídios são mobilizados desses depósitos (adipócito) pela ação da lipólise (lipo=gordura lise=quebra). 

Enquanto nos músculos a sinalização induzida pela adrenalina promove a degradação do glicogênio, nos adipócitos essa mesma sinalização química promove a lipólise, liberando os ácidos graxos que serão então convertidos em energia. Logicamente que esse processo é muito importante e precisa de uma atenção a mais, então discutiremos de forma mais profunda num próximo post. 

O conjunto de adipócitos forma o tecido adiposo, composto ainda por uma matriz de tecido conjuntivo (fibras colágenas e reticulares), células de estroma vascular, tecido nervoso, nódulos linfáticos, células imunes (leucócitos e macrófagos), fibroblastos e pré-adipócitos (lipoblastos). 

Imagem: Tecido Adiposo.

Os pré-adipócitos são células adiposas indiferenciadas com capacidade de gerar novos adipócitos, regenerando o próprio tecido (adipogênese), ou gerar outras células. 

Imagem: Adipogênese.

Existem dois tipos de tecido adiposo: o amarelo e o marrom.

O tecido adiposo amarelo - também conhecido como branco ou unilocular - possui célular grandes com 60 µm a 100 µm (micrômetros) e tem a função principal de ser isolante térmico, proteção mecânica e servindo como base para o deslizamento da musculatura. Sua coloração é variável entre o branco e o amarelo-escuro, dependendo da dieta do indivíduo e se deve ao acúmulo de carotenos dissolvidos nas gotículas de gordura.
O tecido adiposo amarelo subdivide-se em:
  • Subcutâneo (abaixo da pele);
  • Mesentérico (ao redor do intestino);
  • Retoperitonial (ao redor dos rins).
O tecido adiposo marrom - também conhecido como pardo ou multilocular - é o principal responsável pela termogênese. Esse tecido é menos expressivo em adultos, estando presente em neonatos. Suas células tem tamanho menor que 30-40 µm, apresentam núcleo central e diversas gotículas de gordura em seu citoplasma. Sua coloração mais escurecida se deve a numerosa presença de mitocôndrias, sendo estas responsáveis pela oxidação de ácidos graxos, liberando calor. 
Esse tecido é encontrado nas seguintes regiões: 
  • Rins;
  • Adrenais;
  • Aorta;
  • Mediastino;
  • Pescoço.
 
Imagem: Tecido adiposo Unilocular e Multilocular.
 
Agora que temos algumas noções básicas sobre a hipoderme e seus componentes, nos próximos posts vamos conversar sobre a formação da lipodistrofiagelóide (celulite), gordura localizada, e vamos entender como os tratamentos estéticos agem sobre esses dois quadros. 
 
 Em breve teremos algumas matérias de revisão de citologia para quem ainda ficou com alguma dúvida nas últimas matérias. Vocês preferem em texto ou vídeo-aula? Deixem suas sugestões nos comentários! 
 
Obrigada por sua visita, volte sempre! :)  
 
Imagens: Reprodução. 

Um comentário :

  1. Mto enriquecedor! Minha sugestão é q poderia ter vídeo TB... obrigada por compartilhar sua sabedoria Isis. ��

    ResponderExcluir