Óleo essencial de Melaleuca (Tea Tree)




O Óleo de Melaleuca é uma substância retirada das folhas de Melaleuca Alternifolia, que é nativa da Nova Gales do Sul, Austrália. É utilizado na medicina como antisséptico e no tratamento de algumas doenças da pele, como acne.

A melaleuca pertence à família botânica Myrtaceae (mesma da jabuticaba) e suas espécies mais conhecidas são a Melaleuca Alternifolia e Melaleuca Leucadendron. Ambas são valorizadas culturalmente devido ao potencial medicinal do óleo retirado de suas folhas, de cor amarela clara e forte aroma, muito utilizado em produtos farmacêuticos e cosméticos.

Devido à essas qualidades medicinais, o óleo de melaleuca é usado por aborígenes da Austrália há milhares de anos.
No uso tradicional as folhas da melaleuca eram esmagadas com lama, resultando em uma pasta que é aplicada no tratamento de cortes e infecções da pele.
Existem relatos de histórias sobre uma lagoa mágica com poderes medicinais, onde aborígenes se banhavam para curar feridas e afecções. Este local, na verdade, tratava-se apenas de um alagadiço onde caíam as folhas de melaleuca, possibilitando banhos com suas propriedades medicinais.

Embora o óleo de melaleuca seja utilizado por povos da Oceania desde tempos remotos, o uso só foi registrado oficialmente na década de 1920, quando as análises efetuadas comprovaram a sua eficácia.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os soldados australianos usavam-no como desinfetante de ferimentos provocados no combate.

O óleo de melaleuca possui ação antimicrobiana ampla e, consequentemente, eficácia cientificamente comprovada no uso em formulações de tratamentos anti-acne. 


O óleo de melaleuca alternifolia (essa espécie é a mais pesquisada e usada em cosméticos), é dividido em seis variedades (dependendo da composição química do óleo). O óleo da melaleuca mais comercializada é a que possui grande quantidade de terpinen-4-ol, que é o principal responsável pela sua capacidade antifúngica e antibacteriana. O óleo dessa espécie foi comparado com outros agentes terapêuticos, como o fenol, e se mostrou muito mais eficiente.

Estudos obtiveram sucesso quando colocaram à exposição do óleo em organismos como Escherichia coli (bactéria que pode causar diarreia, infecção urinária e até mesmo meningite), Staphylococcus aureus (bactéria causadora de pneumonia, furúnculo, infecções na pele e coração) e Candida albicans (fungo causador de candidíase oral e vaginal).
Como esses organismos são permeáveis ao óleo, ele inibe a respiração de células e a alteração na estrutura e na integridade de suas membranas - também proporciona vazamento de material intracelular. Isso leva à morte de bactérias e eliminação de doenças. Além disso, a composição química do óleo da melaleuca é bastante complexa, a ponto de a bactéria não conseguir modificar seu sistema enzimático para se adaptar aos efeitos do óleo.

No caso de fungos, foram observados efeitos iguais aos ocorridos com as bactérias, além de ter processos de seu crescimento inibidos pelo óleo. O potencial do óleo da melaleuca também tem sido aplicado em estudos com vírus, e os resultados são positivos. Há inibição de crescimento do vírus HSV1 e 2, causador de Herpes em humanos, sendo que a taxa de eficácia depende da fase do ciclo replicativo do vírus no momento em que o óleo é aplicado. Houve também diminuição do crescimento de protozoários, como o Leishmania major (causador da Leishmaniose) e de Trypanosoma brucei (causador da “doença do sono”). Fica evidenciada então a função antisséptica do óleo, que é uma alternativa à desinfecção de água e de alimentos sem o uso de cloro.

Para uso no tratamento de acne, os efeitos do óleo da melaleuca são relativamente parecidos com os de substâncias sintéticas do mercado. Porém, seus efeitos secundários, como descamação e coceira são mais leves. O óleo também tem demonstrado eficiência em induzir respostas imunes, diminuindo processos inflamatórios e sintomas de dor, e, no caso de queimaduras, há regeneração mais rápida da pele.


Para entender a ação do óleo de melaleuca sobre a acne, é importante saber que a acne é causada pelo aumento da secreção de sebo pelas glândulas sebáceas em conjunto com o acúmulo de células mortas que leva à obstrução dos poros da pele (para ler mais sobre acne, clique aqui!).
Sem ser expelido, o sebo acumulado libera algumas substâncias que causam irritação da pele e inflamação local: um meio propício para bactérias se desenvolverem – em especial a Propionibacterium acnes que é a causadora da acne.
A ação antimicrobiana do óleo de melaleuca elimina bactérias como o Propionibacterium acnes, por isso é efetiva no tratamentos de casos de acne vulgar.

Logo, o profissional da área de estética pode utilizar esse óleo em vários tratamentos estéticos, que necessitem de ação: antibacteriana, antifúngica e anti-inflamatória, já que se trata de um excelente fitoterápico.
Vale lembrar que o uso desse óleo vai além da aplicação tópica, ou para potencializar tratamentos, mas pode ser utilizado na forma de aromaterapia também.

E você, já utiliza esse óleo em seus atendimentos? Conte para mim nos comentários! 

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário