Rosácea: parte I


Hoje damos início a mais uma série de postagens aqui no blog, onde vamos falar sobre 'Rosácea'. 
Logicamente que vamos iniciar pelo básico, e os estudos serão feitos baseados em artigos científicos, sites especializados e livros; vamos discutir todos os aspectos da doença para depois falarmos sobre os cuidados que devemos ter no atendimento de pacientes que apresentem esse quadro. 
Para que esse conteúdo fique o mais completo possível, se algum leitor quiser adicionar alguma informação ao conteúdo, sugestões podem ser feitas pela caixa de comentários desse post.

Imagem: Reprodução.

O QUE É? 

Rosácea é uma doença inflamatória crônica da pele. A afecção  afeta mais os adultos entre 30 e 50 anos. A doença tem uma variedade de manifestações clínicas que incluem 'flushing', eritema persistente, pápulas, pústulas e telangiectasias. Afeta até 10% da população geral, com predominância em indivíduos caucasianos. Embora as mulheres sejam mais suscetíveis, os homens desenvolvem as formas mais graves da enfermidade.
Um terço dos pacientes tem histórico familiar e mais de 60% dos casos são diagnosticados antes dos 50 anos (raros são os casos que iniciam na infância). 
A rosácea é uma doença caracteristicamente centro-facial, ou seja, acomete na região geniana, nariz, mento, fronte, glabela e olhos. Áreas retroauriculares, região esternal, dorso e couro cabeludo podem eventualmente estar envolvidos. 

CAUSA 
Estudos sugerem que a causa seja multifatorial com predisposição genética.  Mediadores inflamatórios, alterações vasculares, espécies reativas de oxigênio liberadas por neutrófilos e elementos microbianos podem estar envolvidos nas manifestações clínicas e causas da rosácea. 

Alguns estímulos podem agravar a doença, os chamados 'triggers', que são: alterações climáticas, calor, radiação ultravioleta, ingestão de álcool, estresse, menstruação, climatério, comidas condimentadas e medicações ( como corticoides, amiodarona, parabenos, acetazolamida, amineptina, derivados da vitamina B e inibidores de fosfodiesterase). 
De acordo com estudos, foi sugerido que a disfunção da catelicidina possa exercer papel central na patogênese da rosácea e que uma intensificação da resposta imune inata possa reproduzir elementos da doença. 

Um outro fator que tem sido alvo de debates é a participação do Demodex Folliculorum (já falamos dele aqui)  na causa da rosácea. Muitos pesquisadores consideram esses ácaros comensais, porém, há evidências de que possam ser patógenos oportunistas, com potencial de se transformarem em parasitário, em ambientes favoráveis; diante da participação da catelicidina na rosácea, observou-se que os dois fatores que estimulam os receptores toll-like (sistema imune inato) a induzir a expressão de catelicidina são: infecção e rompimento da barreira cutânea, sendo essas duas condições, pelo menos teoricamente, preenchidas pelo Demodex ( o que pode estar relacionado, hipoteticamente, ao aparecimento de pápulas e pústulas posteriormente, resultantes de uma resposta imune exacerbada). 

SINTOMAS

A primeira manifestação é chamada de pré-rosácea. Sua principal característica é a tendência à ruborização fácil e passageira. O quadro evolui progressivamente para uma vermelhidão (eritema) no centro da face, que não regride e está associada a crises de calor e ardência. Nessas áreas vermelhas, ocorre um aumento de vasos sanguíneos semelhantes a teias de aranha (telangiectasias) e de pápulas ou pústulas. Essas lesões inflamatórias se diferenciam das provocadas pela acne, porque não apresentam pontos pretos.

Em 50% dos casos, pode surgir uma lesão nos olhos denominada rosácea ocular, com sintomas semelhantes aos da conjuntivite e danos na córnea.

Nas formas mais graves, a pele fica mais espessa e aparecem nódulos inflamatórios que aumentam o tamanho do nariz, deixando-o com aspecto disforme e bulboso. Esses sintomas caracterizam a rinofima, uma complicação que afeta mais os homens.

No próximo post vamos abordar os estágios da Rosácea. Para não perder as atualizações do blog, assine nosso feed na lateral direita aqui do blog,e receba por e-mail! ;)
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário