Como trabalhar a expectativa do paciente?



 Você já parou para pensar em como algumas coisas eram, quando você era criança e como são agora? Muita coisa mudou, não é mesmo?! 

Na minha época de criança não tinha whatsapp, facebook, instagram e tão pouco e-mail ou internet (meu primeiro contato com um computador foi com 8 anos de idade e com a internet um tempo depois).
Naquele tempo "tudo demorava muito"! Para conversar com um familiar ou amigo distante tínhamos que ligar (aos finais de semana e à noite, pois DDD era uma fortuna) ou enviar carta, que dependendo pra onde ia, demorava dias/semanas pra chegar. Fora outros processos do dia a dia que era tudo na base do papel ou máquina de escrever.
Mas será que naquela época "tudo demorava muito" mesmo, ou as coisas hoje em dia é que são muito aceleradas?

Com a chegada dos computadores e internet, muitos processos tornaram-se mais eficientes e rápidos, você pode resolver alguma situação bancária pelo seu smartphone e ao mesmo tempo conversar com um amigo que está há milhares de km de distância. Tudo rápido, imediato. 
Isso facilitou nossa vida? Muito! Porém, acabou criando a "geração do agora" e do imediatismo. 

Daí você me pergunta: "Mas Ísis, o que isso tem a ver com estética?"
E lhe respondo: "TUDO!"

Quem aqui já recebeu um paciente para uma avaliação, que chegou cheio de pressa pelos resultados e procurando verdadeiros milagres do dia para a noite? 
Aliás, ele já chega na consulta com o diagnóstico pronto!  

"Olha, eu li na internet sobre isso. Meu grau de celulite é o II, daí eu gostaria de fazer massagem modeladora e ultrassom. Dá pra ficar igual a Sabrina Sato em 2 semanas, pro carnaval?"

Visivelmente esse imediatismo todo vem do avanço na tecnologia e comunicação. É benéfico por um lado e por outro nem tanto.

Outro exemplo. O melasma do paciente surgiu há 3 anos - sim, ele levou 3 anos para procurar tratamento - e ele quer "tirar essa mancha" em 1 mês

Nós operamos milagres? Que eu saiba ainda não.


Mas como trabalhar esse imediatismo e expectativa por resultados instantâneos? Educando nosso paciente e baixando sua ansiedade!

Vamos estabelecer uma linha de raciocínio com esse paciente já na primeira consulta, durante a anamnese com alguns questionamentos: 

 "Há quanto tempo isso surgiu?"  

"Quanto tempo você demorou para procurar tratamento?" 

"Você possui uma rotina de cuidados em casa para melhorar essa situação?"  

"De 0 a 10, qual seu nível de comprometimento para alcançar o resultado desejado?"

Nosso foco com essa avaliação será apresentar posteriormente à esse paciente, argumentos que mostrem que não existem resultados imediatos. Principalmente se faz tempo que o paciente apresenta essa alteração, se ele demorou a procurar tratamento, se ele ainda não tem nenhuma rotina em casa para mudar sua situação e se seu nível de comprometimento - no caso estar disposto a criar uma rotina de cuidados e mudar alguns hábitos - for menos que 10. Isso vai demonstrar o quão complexo será o tratamento, afinal, não basta "passar um creminho" e pronto. Envolve fisiologia, envolve pré disposição genética, taxas hormonais, hábitos, etc.

Não tenham receio nesse momento em mostrar seu conhecimento adquirido durante sua formação, isso não passa uma imagem de 'superioridade', e sim uma imagem de comprometimento e segurança no seu trabalho. 
Por isso a anamnese é tão importante. É o tempo que você tem exclusivamente para entender o caso do indivíduo e para explicar a ele como se formou aquela alteração estética e com quais processos pode ser controlado ou amenizado. 

Outra coisa que pode gerar certo imediatismo - se conduzido de maneira equivocada - é a utilização de imagens de 'antes e depois' em divulgação de procedimentos. Esteja atento para adicionar certos elementos na descrição da imagem, como os hábitos que o paciente que se submeteu ao procedimento teve que mudar, se ele seguiu corretamente o home care, se ele foi dedicado e se o metabolismo dele responde rápido aos estímulos. Se não colocamos nenhum desses elementos, as pessoas vão pensar que poderão chegar ao mesmo resultado sem fazer nada disso e tendo metabolismos totalmente diferentes.

Não deixe de pontuar que cada organismo reage de uma maneira diferente aos estímulos dos tratamentos. Alguns de maneira rápida, em poucas sessões, outros já precisam de mais tempo. 

E pra finalizar, tratamento estético não é receita de bolo! Todo tratamento é diferente e vai de acordo com a necessidade de cada pessoa. Não é porque a paciente A realizou 10 sessões de um procedimento, que a B necessitará do mesmo. É muito importante frisar a individualidade de cada caso e organismo.

Não seja imediatista também, faça uma boa anamnese, leve o tempo que for necessário para esclarecer todas as dúvidas do paciente e para instruí-lo. Isso evitará a frustração da pessoa e garantirá a você melhores resultados! 

E vocês, como fazem para trabalhar a expectativa de pacientes imediatistas? 

Contem para mim nos comentários, quero saber!
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário