Termoterapia / Manta térmica


Hoje vou falar um pouco sobre uma modalidade terapêutica, onde utilizamos agentes térmicos como princípio de tratamento: a termoterapia.

Calor

Resultado de um movimento vibratório. A nível anatômico são choques intermoleculares, ou seja, energia molecular. Na física é a energia cinética ou vibração molecular que está presente sempre que a temperatura for acima de 0 grau kelvin ou acima de 273 graus centígrados. O frio é a supressão do movimento vibratório.
Já a temperatura é o grau de agitação térmica de um corpo. Isto nos dá o quanto de energia o corpo possui; para tal, temos que quantificar esta energia.
A mensuração da temperatura se faz através do termômetro, que é um dispositivo que se presta à apreciação das variáveis termelétricas. Existem vários tipos de termômetro: clínico, laboratório, de máxima e de mínima.

Produção de calor = TERMOGÊNESE

Sabemos que há um controle (termostato hipotalâmico) que garante a temperatura corpórea de 36 a 37°, e que o fator mais importante deste controle é o equilíbrio entre a produção e o desgaste calórico do corpo. O fator essencial para a produção de calor é a presença de uma combustão metabólica através da oxigenação celular, estreitamente relacionada com a circulação sangüínea como portador do fator oxigênio e consequentemente com a atividade cardíaca como motor desta circulação; assim como a atividade muscular intensificando o processo de produção de calor.

Para que o aquecimento terapêutico seja eficaz, o nível da temperatura deve ser de 40°C a 45°C; excedendo são passíveis de causarem lesões teciduais, e sendo abaixo, podem não atingir o efeito desejado.

Transferência de calor


1. Termoterapia por condução
  • Dois objetos que estão em contato físico
  • De um objeto de maior temperatura para a de menor temperatura mais efetivo em objetos sólidos. Exemplo: Banho de parafina, bolsa de água quente e compressas. São modalidades de aquecimento superficial, se limitam a região cutânea, alcançando a profundidade de 1 cm.


2. Termoterapia por convecção
  • É o movimento de moléculas no meio fluídos (líquido ou gases)
  • Se da por diferença gravitacional as moléculas
  • São também consideradas formas de calor superficia. Exemplo: Hidroterapia (turbilhão), Forno de Bier, Fluidoterapia (sauna e banho de vapor).


3. Termoterapia por conversão
  • Trata-se da conversão de energia elétrica ou sônica em calor (fótons)
  • Tem como base o efeito Joule
  • Utiliza a resistência dos tecidos, quando da passagem da corrente elétrica para produção de calor. Exemplo: Ondas Curtas, Ultrassom (calor profundo) e Infravermelho (calor superficial).


Segundo Lehman,JF, De Lateur, BJ, 1990 apud Kitchen e Bazin,1998
Propriedades térmicas das substâncias e dos tecidos
 
Na termoregulação, o calor é trocado por processos de transferência por condução, convecção, radiação e evaporação entre a superfície corporal e o ambiente, de modo que a temperatura central do corpo permanece constante, e é mantido um equilíbrio entre a produção de calor interno (metabólico) e a perda (ou ganho) de calor ao nível da superfície da pele.

Calor Superficial

São consideradas modalidades de calor superficial os que limitam à região cutânea, alcançando a profundidade de 1 a 3 cm tendo como resposta aquecimento local.

É uma técnica utilizada nos tratamentos corporais para a redução da gordura localizada em razão do aumento da absorção dos princípios ativos dos produtos favorecendo a modelagem corporal. São utilizados cosméticos cujos princípios ativos são termo ativos, ou seja, melhoram as funções quando utilizado com calor.

Essa técnica pode ser realizada por aparelhos corporais, sendo exemplos:

• Mantas Quentes: dependendo do fabricante. Essas mantas podem ser aplicadas no abdômen, membros superiores e inferiores, sendo que em cada canal a intensidade do calor pode ser regulada independentemente.

• Manta térmica: é única e encobre o corpo todo.

• Forno de Bier: consiste num forno em forma de semicírculo, que é colocado sobre a paciente e vedado com toalhas em suas extremidades para que não haja perda do calor.

• Radiação Infravermelha: é uma forma de calor superficial por conversão, na qual a radiação eletromagnética incidente na pele provoca fortes impactos com as moléculas, que se chocam determinando um aumento de movimento e, portanto, de energia cinética. A consequência disto é o aquecimento do meio absorvente logo nos primeiros milímetros dos tecidos, ou no máximo, no primeiro centímetro. Os equipamentos que produzem este tipo de radiação estão no mercado conhecidos como Invel ou Photon Dome.






Quando aplicamos o calor, ocorre, no local da aplicação, uma ativação do metabolismo celular com aumento do consumo de oxigênio pelos tecidos, melhorando a nutrição tecidual. Observamos, ainda, modificações na permeabilidade da membrana celular, aumento da síntese proteica e da atividade enzimática. A hiperemia também proporciona um aumento no transporte de elementos de defesa como anticorpos, leucócitos, gamaglobulinas o que traz um importante efeito anti-inflamatório local. Sobre as terminações nervosas o calor provoca aumento do limiar da dor causando analgesia e nos receptores musculares causa o relaxamento, auxiliando nos quadros de tensão e estresse. Notamos, ainda, que surge um aumento da diurese e da sudorese, efeitos importantes sob o ponto de vista desintoxicante.


Resumindo, temos como efeitos do calor:


• Relaxamento muscular e de outras estruturas superficiais;

• Vasodilatação cutânea;

• Aumento do fluxo sanguíneo superficial;

• Aumento da permeabilidade capilar superficial;

• Aumento da sudorese;

• Aumento de leucócitos por meio da parede dos vasos.


Quando aplicamos calor, devemos tomar algumas precauções para que não se queime a pele da paciente. Em uma forma de protocolo, passamos gel com princípios de redução de gordura localizada e celulite. Cuidado: nunca utilize produtos que contenham princípios hiperemiantes, que causem aumento da temperatura local, pois a união deste calor com o da termoterapia poderá ocasionar queimaduras. Após passar o gel, envolver a paciente com filme osmótico ou com ataduras de crepe umedecidas. Estas ataduras poderão estar umedecidas em água que contenha sais térmicos ou em vinho tinto seco, para fazer a vinhoterapia corporal. Os polifenóis deste tipo de vinho ajudam no metabolismo da gordura dentro dos adipócitos, degradando-os.


Outro cuidado é analisar o custo-benefício da utilização do calor. O calor só pode ser utilizado em pacientes com grande quantidade de gordura localizada ou em obesas, pois em pessoas com pouca gordura, há um superaquecimento da região por não ter uma grande camada de tecido para penetrar. Então, ocorre uma elevação da temperatura acima do permitido, o que causa desnaturação proteica, ou seja, as proteínas da pele (colágeno e elastina) degradam-se, causando flacidez tissular. Neste caso, o custo é maior do que o benefício, pois temos outras técnicas eficientes para depósitos localizados menores.








EFEITOS FISIOLÓGICOS GERAIS


  • Produção de calor
  • Vasodilatação
  • Aumento do fluxo sanguíneo
  • Aumento do metabolismo
  • Aumento da viscosidade dos tecidos
  • Diminuição da atividade do fuso muscular
  • Aumento da temperatura corpórea
  • Diminuição da pressão sanguínea
  • Aumento da atividade das glândulas sudoríparas
  • Aumento do consumo de oxigênio
  • Aumento da atividade enzimática
  • Diminuição da viscosidade intra-articular
  • Aumento da permeabilidade celular
  • Aumento da fagocitose
  • Aumento da eliminação de metabólicos
  • Aumento do débito cardíaco
ALGUNS EFEITOS SISTÊMICOS
  • Aumento da temperatura corporal
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Aumento da frequência respiratória
  • Redução da pressão arterial 

CONTRAINDICAÇÕES

O tratamento com manta térmica é contraindicado para:

  • Quem tem pressão alta/trombose, pois aumenta atividade sanguínea;
  • Quem tem pressão baixa, pois há a queda de pressão;
  • Pessoas idosas;
  • Pessoas em estado febril ou com algum tipo de infecção;
  • Pessoas com pele hipersensível;
  • Em áreas anestesiadas sem o devido acompanhamento;
  • Gestantes e lactantes.
Espero que esse post tenha contribuído com seus estudos, conhecimento e claro, que tenham gostado. 
Obrigada pela visita, voltem sempre!
*Imagens: reprodução.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário