Fototerapia e Dermaled


Recentemente participei do 10º Congresso Científico Internacional de Estética e conferi as novidades da Beauty Fair. 

Nos 4 dias que fiquei por lá, pude notar que a fototerapia continua em alta e que muitas empresas tanto de equipamentos, quanto de cosméticos, tem investido nessa área. 

Admito que eu nunca dei muita atenção para essa tecnologia, pois eu não dava crédito para a técnica. Porém, como vi muitas colegas esteticistas comentarem a respeito dos efeitos e maravilhas do LED, resolvi comprar o Dermaled da Cosmobeauty para testar. 

Logo, achei que seria um tema interessante para expor aqui e aproveitar pra falar um pouquinho do equipamento.

Imagem: Reprodução


FOTOTERAPIA

Ao longo dos séculos a luz é considerada terapêutica. A heliopatia é um nome que surgiu na Grécia antiga para os banhos de sol que eram considerados terapêuticos e prometiam curar doenças como asma, epilepsia, artrite e obesidade.

  O nome fototerapia foi criado pelos pesquisadores Downes e Blunt, em 1877, quando confirmaram através da luz ultravioleta que os gregos não estavam tão errados e que a irradiação dessa luz teria realmente propriedades terapêuticas.
Albert Einstein por sua vez propôs, em 1917, a existência do fóton e desenvolveu a teoria quântica que deu origem ao laser (light emplification by estimulated emission of radiation). Todos esses trabalhos de Einstein permitiram que, em 1960, Theodore Maiman construisse o primeiro equipamento laser.

  A comunidade científica sobre a laserterapia não considerava os efeitos de bioestimulação em tecidos sadios até a chegada dos LED's (light emitting diode) e do cluster que agrega o uso de diodos laser e LED's (Karu, 2003).

Situada na porção visível do espectro eletromagnético, a luz do laser e dos LED's interage com o tecido biológico como outros recursos luminosos: para um determinado tecido absorver luz é necessário ter uma molécula receptora chamada cromóforo. A luz interage com os cromóforos da pele e parte é então transmitida. Na pele os principais cromóforos são a melanina e a hemoglobina. Há também cromóforos exógenos contidos em cosméticos que podem ativar a absorção de luz pelos tecidos.

O mecanismo de ação da fototerapia em questão estimula a ação do citocromo - c oxidase e acelera a mitocôndria aumentando o trabalho da cadeia respiratória celular para produzir mais energia, acelerando a troca de nutrientes e agilizando a eliminação de toxinas do organismo (Russell, et al, 2005, Trelles, Allones, 2006; Karu, 2003, Goldman, et al, 2013). 

Imagem: Reprodução.

LEDTERAPIA

Os LEDs (Light Emitting Diodes) são diodos de semi-condutores que, ao serem submetidos a uma corrente elétrica, emitem uma luz que promove estimulação intracelular. Tem o poder de tanto estimular como de inibir determinadas atividades celulares (processo conhecido como modulação), abrangendo assim várias indicações diferentes.
As fontes de LASER (Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação) e de LED são semelhantes do ponto de vista da luz emitida, isto é, ambos produzem uma banda espectral relativamente estreita, tendo o LED um espectro um pouco mais largo, oferecendo assim uma gama de cores que podem ser utilizadas em vários tratamentos.
 
A diferença importante dessas fontes está no fato de que a luz emergente do LED não é colimada nem coerente. Seu ângulo de emissão é maior. Ela possui uma divergência medida em graus, já que os fótons se repartem em uma superfície maior, constituindo uma vantagem, pois o terapeuta pode cobrir uma área maior, deixando fixo o aplicador, sem ter que fazer movimentos. O baixo custo e o fácil manuseio do LED aumentaram a procura e o uso dessa terapia.

A Fototerapia por LEDs transporta energia para as células através de irradiação eletromagnética de baixa freqüência. A Fototerapia não é invasiva nem ionizável, não emite raios UV, não causa aumento da temperatura da superfície da pele, permitindo assim um resultado gradativo, seguro e indolor.





DERMALED

Equipamento micro processado, compacto, de alta tecnologia, projetado para emissão de luz através de diodos semicondutores LED de baixa intensidade, cuja luz absorvida pelo tecido, promove a reparação celular (bioestimulação), provocando analgesia, ação anti-inflamatória, induzindo o organismo a uma auto recuperação. 

A Fototerapia por LEDs ou Fotobioestimulação atinge as camadas mais profundas da pele transportando energia para as células através de irradiação eletromagnética de baixa frequência. A Fototerapia não é invasiva nem ionizável, não emite raios UV, não causa aumento da temperatura da superfície da pele (epitélio), permitindo assim um resultado gradativo, seguro e indolor. Após seu uso, podem ser associado outras técnicas de tratamentos estéticos. 

O tratamento com o DERMALED estimula a produção de colágeno para rejuvenescimento, cicatrização de feridas e crescimento capilar. Além disso, é capaz de inibir o metabolismo de manchas, acne, lesões da pele, também é eficaz no tratamento de calvície, pois estimula intensamente as células germinativas do bulbo capilar, promovendo a densidade e fortalecimento dos fios. Tudo isso sem desconforto ou restrições. Os principais benefícios deste tratamento são: uma pele mais macia, suave, com mais elasticidade e redução de linhas de expressão, rugas e pigmentação (clareamento da pele). 

Vantagens da Fotobioestimulação com o Dermaled: 
  • Seguro, por não ser um tratamento invasivo; 
  • Sem efeitos colaterais e tempo de recuperação; 
  • Tratamento indolor; 
  • Não oferece restrição ao tipo de pele; 
  • Não danifica os tecidos subdérmicos; 
  • Emissão específica do LED, não expondo o tecido a comprimentos de onda indesejados; 
  • Vantagem perante outros métodos, pois deixa a pele em volta da lesão intacta e funcional. 

Efeitos Biológicos: 
  • Fotoestimulação; 
  • Foto regeneração; 
  • Dermotonificação. 

LUZ VERMELHA (640 nm): 
A irradiação da luz vermelha possui efeito bioestimulante, regenerador e anti-inflamatório. Os termos receptores absorvem essa energia e reagem aumentando a capacidade de produção de fibroblastos, havendo maior regeneração de colágeno, reativando as células, aumentando sua permeabilidade e a dermotonificação cutânea. Favorece o rejuvenescimento facial, a tonicidade da pele, minimizando linhas de expressão, melhorando a qualidade da pele. 

LUZ AZUL (470 nm): 
A irradiação da luz azul tem ação bactericida, oxigenante e cicatrizante. Na acne ativa, tem efeito fotodestruidor da bactéria propionibacterium acnes, agindo diretamente na excessiva produção de gordura inibindo o excesso de secreção sebácea, auxiliando na oxigenação e na regeneração do tecido. 

LUZ ÂMBAR (590 nm): 
A irradiação da luz amarela tem propriedades drenantes e desintoxicantes, melhorando a circulação sanguínea e linfática, minimizando edemas, estimulando a presença de água, e tem efeito calmante nos casos de vermelhidão causada por rosácea. 

Contraindicação: 
Pessoas grávidas ou com: foto sensibilidade, dermatose desencadeada ou agravada pela luz, catarata ou glaucoma, dermatoses pré-cancerosas, câncer de pele, história pessoal de câncer de pele, problemas cardíacos, marca-passo, albinismo e enxaqueca. 

Bom, se você é como eu, que não acreditava muito nos efeitos da ledterapia, só lhe digo uma coisa: "É ver para crer". 

Fiquei bem satisfeita com o equipamento. É pequeno, leve, trabalha com as cores de LED isoladas e conjuntas, achei bem interessante essa associação de cores.
Minha satisfação veio a partir do momento que comecei a usar o LED para finalizar o procedimento de limpeza de pele, para auxiliar no aumento de hidratação da pele. Consegui sentir que a pele dos meus pacientes respondiam muito bem ao estímulo. Posso afirmar também que além do efeito na pele, todos os pacientes gostaram e ficaram encantados com a 'novidade', realmente é algo que agrega valor ao procedimento e ao resultado obtido.

Uma sugestão para quem interessar comprar o Dermaled ou qualquer outro equipamento de LED: providencie óculos de proteção para você e para seu paciente. Eu testei em cabine, a luz é realmente muito forte. Algodão, gaze e até cobrir a área dos olhos com as mãos de nada adianta. O óculos de proteção é o mesmo usado para procedimentos de laser e luz pulsada. Será mais confortável e seguro para você e seu paciente.

Outra dica pra quem vai adquirir ou já tem equipamento de LED é investir em cosméticos fotoativados, ou seja, ativados com a luz do LED. Eu encomendei a linha Focalize LED da Bel Col (já falei dele aqui!), assim que chegar posto resenha.

Espero que este post tenha sido esclarecedor e que tenha, de alguma forma, acrescentado algo a vocês ! 

Obrigada pela visita, voltem sempre ! :) 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário